sexta-feira, julho 3, 2020
Home Arte e Literatura Amor de Mãe: existe amor maior ou igual?

Amor de Mãe: existe amor maior ou igual?

Por Marcus Vinicius Peralva Santos

No próximo domingo, dia 10 de maio comemora-se o Dia das Mães.
Este sem dúvida, é um dos dias mais esperados para as mulheres que já são mamães, e a semana que antecede a este dia é de completa loucura aos filhos, os quais encontram-se numa verdadeira batalha a fim de encontrar o presente ideal. No entanto…. este ano, divido a PANDEMIA que vivemos, as mamães terão que se contentar na maior parte dos lares brasileiros com fortes abraços e beijos quentes dos filhos, o que pode ser complementado no dia das mães do ano que vem, sem problemas, rsrsrs.
Mas pensando nas mães de um modo geral… você já parou para analisar os árduos desafios que essas mulheres batalhadoras enfrentam na atualidade, a fim de transmitir amor e tudo mais que possam a seus filhos? Para lhe ajudar nisto, hoje a coluna de “Artes e Literatura” aborda de forma sucinta algumas das batalhas diárias que as nossas heroínas do dia a dia enfrentam a fim de dar o mínimo de conforto aos seus filhos e aos demais integrantes do lar… Vamos lá, enumerar estes desafios?
Como primeiro desafio podemos citar a menor remuneração que a mulher costuma receber em determinados serviços (sendo mãe ou não). Um segundo desafio corresponde as multijornadas de trabalho. Cuidar de filhos é caro, ainda mais quando se trata de uma criança pequena. Nesta situação, muitas vezes as mães acabam se desdobrando para dar conta dos custos financeiros que aumentam com a chegada do bebê, e para isso, se antes esta mulher tinha apenas um serviço, ela acaba passando a ter dois ou até três serviços para dar conta dos gastos…
E o que dizer então da jornada de serviços em casa, após chegar de um longo dia de trabalho? Esta mãe muitas vezes ainda terá que preparar a mamadeira para o bebê, esquentar, e talvez até mesmo preparar a comida para ela e o marido, arrumar as coisas que estão fora de ordem pela casa, e se vacilar… ainda preparar as refeições do dia seguinte, para só então, certamente no tardar da noite, ou já, em plena madrugada conseguir sentar para descanar um pouco…
Mas a mulher multitarefas do século XXI não desenvolve apenas estas atividades descritas anteriormente… ela ainda tem que se desdobrar com os estudos da faculdade, pois sim… ela quer alcançar voos maiores e quer dar o que for de melhor aos seus filhos, e para isso precisa e quer se recolocar numa posição melhor no mercado de trabalho. Eu como professor universitário já vi em várias ocasiões a mulher-mãe dormindo sobre a carteira no desenrolar das aulas… as vezes acordava, outras vezes não, e me perguntava… será que é certo eu atrapalhar o sono dela? Será que a aprendizagem não será menos produtiva com ela tentando compreender a aula, sendo que o seu corpo pede por descanso?
Isto é algo que nunca vou saber, mas que por esta e outras ocasiões sempre deixei os alunos gravarem a aula em áudio para que depois pudessem estudá-la novamente, até mesmo disponibilizando meu número de WhatsApp para que tirassem suas dúvidas em outro horário posterior a aula, caso achassem necessários. E o que falar dos constrangimentos no retorno ou saída de casa, onde muitas vezes estas mães são assediadas em plena rua, no ônibus, no metrô, numa passarela, ou dentre outros tantos ambientes aos quais percorre?
Mas creio que um dos maiores desafios que esta mãe possa enfrentar, se refere a “ingratidão por parte do filho”. Já imaginou, você mãe, passar por todos estes problemas num único dia e ao chegar em casa seu filho lhe tratar de forma rude, falar que você não lhe dá atenção, reclamar das condições de vida que você proporciona a ele, ou pior… ter vergonha de você pelo seu jeito de falar, se vestir ou outra característica? Esta sem dúvida deve ser um dos desafios que mais acaba com a baixa estima de uma mãe…
Como este ano não vamos poder “premiar” nossas mães com o presente que ela merece, que tal irmos no mercado, ou na vendinha do bairro e contemplá-la com um chocolate que ela tanto adora e relembrá-la o quão especial ela é importante em nossas vidas? Parece algo simples e bobo, e é mesmo, rsrssr, mas que é muito importante e consolador a uma mãe de família. Vamos demonstrar mais amor as nossas mães neste ano tão difícil?
Como sugestão de leitura para hoje, deixo aqui o livro “Éramos seis” de autoria da escritora Maria José Dupré, o qual foi exibido em formato de novela até poucas semanas atrás na Rede Globo de Televisão.
Finalizo a coluna de hoje por aqui e não deixem de conferir as colunas especiais de dia das mães que ocorrem ao longo desta semana aqui no Portal Som de Papo.
Abraços cordiais a todos!

Imagem obtida e modificada de:
Pexels.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

- Publicidade -

Mais Lidas

Vamos relaxar: alimentos que são calmantes naturais

Por Ana Lucia Reis. Em nossa rotina é importante manter uma alimentação saudável e equilibrada para melhor funcionamento do nosso organismo, o intuito da coluna...

DVD de Ivete Sangalo Live Experience

Por Sheila Argolo Ivete Sangalo, cantora, compositora, atriz, jurada, apresentadora...., qualificações pra diva do Axé Music não faltam. E o tbt de hoje é pra...

Mês de julho é marcado por lives de consagrados nomes da música baiana

Por Gilberto Romano A temporada de lives continua em função da pandemia e neste mês de julho três grandes feras da musica baiana realizam suas...

Nando Borges é atração do Som de Papo In Live

Pra quem gosta de relembrar os grandes sucessos da música baiana, o programa SOM DE PAPO IN LIVE traz como atração musical o cantor...